Roteirista é um tipo de “sub-escritor“, um sujeito que pega uma obra pronta e transforma em uma sequência de cenas com instruções de comportamento e diálogos.

Ele não tem o trabalho criativo do escritor que engendra e pari toda obra, ele apenas a re-organiza e a apresenta em formato específico para filmagens.

Nos EUA estão se tornando uma espécie de semi-deuses.

Há que se notar: as emissoras como The CW, CBS e a virtual Netflix estão lotadas de marxistas culturais. A HBO, AMC e FOX nem tanto, mas as 3 primeiras estão surfando na crista da onda.

Corromper uma narrativa original era para ser crime com multas pesadas: se o plágio é crime, por que motivo uma narrativa que se propõe original mas mente distorcendo-a, não é?!

Assim fizeram na CBS e The CW com os personagens DC e da mesma forma no Netflix com os personagens Marvel.

Se por um lado foi a descoberta do cinema com a Sony que livrou a Marvel da falência, por outro também jogou no lixo o trabalho de gênios contemporâneos como Stan Lee: cuspiram em grandes artistas John Romita. Por dinheiro as editoras e autores prostituíram suas obras e agora vêem suas criações servindo aos porcos do Democratic Party.

Supergirl, The Flash, Arrow e Legends of Tomorrow tornaram-se propagandas ambulantes da esquerda.

Demolidor, Luke Cage, Justiceiro e Punhos de Ferro seguiram o mesmo caminho.

Stan Lee por exemplo criou o Homem Aranha para servir a um código: “grandes poderes trazem grandes responsabilidades” e assim transformou o Peter Parker em um ídolo de gerações. John Romita criou o Justiceiro para lidar com a família através de sua ausência.

Eis aí o preço da prostituição.

Os escritores do passado estavam preocupados em descrever a realidade em suas narrativas, com personagens retirados diretamente de seu cotidiano. Os atuais servem a uma ideologia que sequer sustenta-se diante de um teste lógico de comparação com a realidade.

Gramsci acabou com tudo, em toda parte.

Anúncios