Superhero Movie é um filme de 2008 e no Brasil chegou com o nome “Super-Herói: O Filme“.

O enredo é uma paródia de outros filmes de super heróis, como Batman, X-men, Superman, Quarteto Fantástico e principalmente Homem Aranha. Rick Riker é um estudante desajustado que é apaixonado por sua vizinha, Jill Johnson. Jill tem namorado, é linda e não sabe sequer que ele existe. Numa experiência em laboratório com animais geneticamente modificados ele é picado por uma libélula modificada e após algum sofrimento adquire seus poderes de libélula. 🙂 O empresário que estava financiando o evento, Lou Landers está para morrer com uma doença e resolve testar em si mesmo uma alteração genética e também ganha superpoderes, mas para sobreviver ele precisa matar alguém e absorver sua vitalidade. Em um cálculo no laboratório Lou descobre que se absorver a vida de 47 mil pessoas se tornará imortal e coloca em ação um plano para conseguir todas as vidas de uma só vez. O Libélula precisará aprender a acreditar em si para impedir Lou de cometer uma chacina.

O roteiro é veloz, não deixa faltar qualquer informação e tem ritmo. A jornada do herói de Joseph Campbell foi respeitada à risca, mas o tipo de crítica social que ali se fez não foi adequado. Se fosse para respeitar o heroísmo épico teria sido fantástico, mas para ridicularizar a arte contemporânea ficou fora de contexto. As mensagens trabalhadas são a infantilização da arte no cinema com os blockbusters Marvel e DC que recontam as mesmas narrativas há mais de 40 anos. O filme demonstra como é ridículo para um adulto manter-se ingênuo como uma criança e também faz um ataque severo ao politicamente correto.

A fotografia é meramente informativa e o esquema de cores é de um contraste entre os tons pastéis que sugerem a vida real com o colorido vivo dos trajes infantis dos super heróis. A música é o clássico orquestrado e o pop, exagerados com ar de dramalhão. A edição é razoável, mas puramente técnica.

O elenco é quase todo fraco, os únicos bons atores ali são Leslie Nielsen como Tio Albert Adams Riker e Sara Paxton como Jill Johnson. Leslie dispensa comentários, é um grande humorista e Sara mergulhou no personagem e convenceu. O resto não mereceu sequer ser mencionado.

A direção orquestrou esse time mediano com roteiro fraco e até surpreendeu realizando no final das contas uma crítica à infantilização dos adultos na arte.

A produção contou com um orçamento de US$ 35 milhões e alcançou uma bilheteria pífia de US$ 71 milhões. O filme concorreu a 1 prêmio apenas e não ganhou.

A comédia é fraca de forma geral, trata-se apenas de mais um besteirol americano, mas tem alguns pontos fortes para quem gosta de HQ e é capaz de identificar os personagens satirizados. Eu só recomendo para este público, fãs Marvel e DC que queiram se divertir um pouco.

Uma nota 6,5 é justa e os pontos positivos são mais pelas mensagens do roteiro: os ataques ao politicamente correto e à infantilização da arte, neste momento é de fato necessário que alguém o faça. O trabalho técnico por outro lado foi muito fraco e o humor como objetivo não divertiu tanto.

Trailer de Superhero Movie ( Super-Herói: O Filme )

Ficha técnica de Superhero Movie ( Super-Herói: O Filme )

Filme Superhero Movie ( Super-Herói: O Filme )
Ano 2008
Duração 75 minutos
Produção David Zucker, Robert K. Weiss
Direção Craig Mazin
Roteiro Craig Mazin
Fotografia Thomas E. Ackerman
Música James L. Venable, Drake Bell
Edição Andrew S. Eisen, Craig Herring, Dan Schalk
Elenco Drake Bell, Sara Paxton, Christopher McDonald, Leslie Nielsen, Kevin Hart, Brent Spiner, Jeffrey Tambor, Regina Hall
Orçamento / Receita US$ 35 milhões / US$ 71.237.351
Anúncios