The Imitation Game é um filme 2014 baseado no livro “Alan Turing: The Enigma” de Andrew Hodges. No Brasil chegou com o nome “O Jogo da Imitação“.

O enredo é sobre a trajetória de Alan Turing, o matemático inglês que deu início à toda evolução tecnológica que gerou o computador e boa parte das máquinas da atualidade. Turing foi historicamente o pontapé inicial em direção à atualidade, foi um divisor de águas entre a revolução industrial e o advento tecnológico. A narrativa se ocupa de sua participação na Segunda Guerra, sua coragem, determinação e talento imprescindíveis.

Os nazistas estavam com uma imensa vantagem estratégica com sua comunicação criptografada e sem vencer esta barreira, a inteligência britânica (MI6) não poderia fazer muita coisa. Neste cenário surge Turing para mudar tudo, mas o que ele não esperava é que em meio à ameaça nazista, ainda existia a ameaça comunista e a KGB estava presente, atuando dos dois lados da guerra simultaneamente. Em meio a este cenário de pressão e baixas civis, o gênio matemático se vê com a responsabilidade de ganhar a guerra toda sobre seus ombros.

O roteiro tem velocidade média, solta informações intercaladas que as vezes podem confundir o expectador, mas que se esclarecem logo em seguida. A panfletagem ideológica é intensa a partir de 2/3 do filme e se concentra em sua vida sexual, ignorando seus feitos reais, esta diminuição ficou muito feia, pois Turing não apenas criou a “Máquina de Turing“, como foi o pioneiro da inteligência artificial e seus artigos foram referência determinante no Projeto Manhattan com John Von Neumann nos EUA. Para piorar o site Hypescience demonstrou em uma pesquisa que o filme é 64% mentira. O marxismo cultural deforma narrativas, como já procurei demonstrar, este, infelizmente foi mais um dos casos.

A fotografia é um trabalho vintage fascinante que encontrou sinergia com a cenografia e o figurino. A música é um piano sutil com uma orquestra singela, é quase imperceptível, um trabalho fantástico de Alexandre Desplat que se funde ao clima de pressão, suspense e extrema ansiedade. A edição um trabalho técnico que não apresenta arte propriamente dita, mas é adequada à narrativa.

Do elenco, Benedict Cumberbatch fez um trabalho fantástico como Alan Turing num dos mais impressionantes mergulhos em personagens históricos que se pode apontar. Charles Dance como Alastair Denniston apresentou um militar decidido e forte, convincente ao ponto de ser indistinguível do estereótipo. Todo o elenco foi muito bom e realizou um trabalho digno.

A direção se ocupou de orquestrar esta equipe talentosa através de um roteiro ideologizado e distorcido, que abusou da imagem de um ícone histórico, um gênio acima de qualquer hipótese, dono de uma mente brilhante e de uma obra de relevância incontestável, para fazer propaganda ideológica: uma falta de respeito imperdoável.

A produção da Black Bear Pictures contou com um orçamento de US$ 15 milhões e alcançou uma bilheteria de US$ 227 milhões. O filme foi indicado a 202 prêmios dos quais ganhou 47, inclusive um Oscar para a adaptação de roteiro de Graham Moore.

Pela quantidade de informações excelentes apresentadas até 2/3 do filme, como a personalidade de Alan Turing, sua paixão pela ciência, sua realização fantástica com a criação de sua máquina e a forma como a KGB controlou o MI6, uma nota 9,5 seria justa. Por outro lado, pela panfletagem ideológica de esquerda em tempo integral, que inclusive chegou ao cúmulo de afirmar que ele alcançou tamanha realização por ser homossexual e não por ser dedicado à ciência, vou diminuir aqui 3,0. O roteiro foi premiado porque Hollywood produziu com predileção pelo marxismo cultural e a Academia é de esquerda também.

Minha nota é 6,5.

Trailer de The Imitation Game ( O Jogo da Imitação )

Ficha técnica de The Imitation Game ( O Jogo da Imitação )

Filme The Imitation Game ( O Jogo da Imitação )
Ano 2014
Duração 114 minutos
Produção Nora Grossman, Ido Ostrowsky, Teddy Schwarzman
Direção Morten Tyldum
Roteiro Graham Moore

Baseado em Alan Turing: The Enigma de Andrew Hodges

Fotografia Óscar Faura
Música Alexandre Desplat
Edição William Goldenberg
Elenco Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode, Charles Dance, Rory Kinear, Mark Strong
Orçamento / Receita US$ 15 milhões / US$ 227.774.226
Anúncios