O filme He Never Died foi lançado em 2015 e para os brasileiros chegou com o nome “Ele Nunca Morre“.

Jack é um homem isolado, perturbado, introspectivo e antissocial que em determinado momento descobre que tem uma filha. Ele já viveu muito, muito mesmo, esteve em inúmeros lugares e civilizações, conhece o mais importante personagem histórico possível de se imaginar. Vive sozinho em um apartamento alugado, em suas andanças acabou por se meter com a máfia e fez inimigos que agora voltam em busca de vingança, mas Jack possui segredos, incontáveis segredos, inclusive sobre quem ele realmente é.

O roteiro é lento, não deixa faltar informações e mantém o clima de suspense sobre a persona do protagonista. O grande dilema do personagem é se ele deixa ou não alguém se aproximar dele, dada sua história e seu segredo maior. Jack é um homem cuja trajetória deixou marcas profundas em seu subconsciente, ele é culpado e não está em busca de redenção, sua vida é sem propósito e ele é vazio. Não se trata de alguém sofrendo propriamente dito, mas de um processo interminável de foraclusão. Outros personagens com a mesma psiquê são comuns na literatura e cinema, como Logan (Wolverine), Caim em Supernatural e Clegane em Game of Thrones. Um único momento de confissão provocaria uma catarse que libertaria a mente destes personagens, mas eles querem distância da realidade. A abordagem é fantástica neste sentido de reflexão.

A música é o rock contemporâneo, o metal, mas é suave e quase imperceptível, harmoniza com o tom pesado de culpa e fuga de consciência de Jack. A fotografia é um dos pontos positivos, com destaque para os ângulos e movimentos de câmera no momento em que o personagem é envenenado, além do que o trabalho de Eric Billman encontrou harmonia com a cenografia depressiva e a maquiagem semi-gore para alguns momentos especiais. A edição é meramente informativa.

O elenco, além do protagonista e dois coadjuvantes é todo ruim, os únicos realmente bons são: Henry Rollins como Jack, Jordan Todosey como Andrea e Kate Greenhouse como Cara. Dos três Kate é de longe a melhor, mas o trabalho de Henry também não foi nada fácil.

A direção tinha como missão entregar uma comédia de horror e acabou por realizar um drama filosófico, apesar desta confusão o resultado ficou bom, provavelmente muito melhor que o esperado.

Não foram usados efeitos especiais, mas a narrativa merecia, eu inclusive espero um relançamento deste filme no futuro, com um orçamento melhor.

A produção de Zach Hagen e Adrienne Stern não divulgou o orçamento e a receita, mas o filme foi indicado a 3 prêmios dos quais infelizmente não ganhou nenhum.

Para uma produção de baixo custo e um filme cult, uma nota 8,0 é justa.

Trailer de He Never Died ( Ele Nunca Morre )

Ficha técnica de He Never Died ( Ele Nunca Morre )

Filme He Never Died ( Ele Nunca Morre )
Ano 2015
Duração 99 minutos
Produção Zach Hagen, Adrienne Stern
Direção Jason Krawczyk
Roteiro Jason Krawczyk
Fotografia Eric Billman
Música James Mark Stewart
Edição James Bredin
Elenco Henry Rollins, Booboo Stewart, Steven Ogg, Jordan Todosey, Kate Greenhouse
Orçamento / Receita Não divulgado
Anúncios